Moções

19/03/13

MOÇÃO DE SOLIDARIEDADE AO PROFESSOR RICARDO ANTUNES

“Alguém acredita que não tem greve? Que a greve acabou porque uma entidade criada pelo governo, incentivada pelo governo, ela não fala pelo conjunto, a chamada Proifes, ela não fala pelo conjunto dos Professores, as universidade federais ainda estão paralisadas…”.

Em razão desta fala, expressa durante entrevista no programa Roda Viva da TV Cultura em 3 de setembro de 2012, o professor Ricardo Antunes foi interpelado judicialmente pela Proifes (Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior).

Esta interpelação antidemocrática por essência, parte de uma entidade que em tese deveria defender os professores. Entretanto, a iniciativa comprova que essa estrutura sindical é nascida sob as bênçãos do governo para contrapor-se ao ANDES-SN, Sindicato que ousou não ajoelhar-se frente ao poderio estabelecido.

A ação tem claro viés intimidatório, pois visa calar uma das grandes vozes deste país. Inócua, é claro, pois Ricardo Antunes é daqueles que não se calam quando a educação brasileira é ameaçada. Por sua postura em defesa da educação, por sua luta pela democracia e por suas ações visando construir um país socialmente mais justo, o Sintusp – Sindicato dos Trabalhadores da USP - presta toda solidariedade ao Professor Ricardo Antunes.

São Paulo, 19 de março de 2013.
Diretoria Colegiada do Sintusp

 
14/03/13

TODO APOIO À LUTA DOS DOCENTES E TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO!! NENHUMA PUNIÇÃO AOS LUTADORES!!

Declaramos nosso total e irrestrito apoio à luta dos docentes e trabalhadores da educação de ATEN que se mobilizam em defesa das condições de trabalho e contra a precarização da educação na Argentina.

Nos colocamos contra qualquer punição aos trabalhadores e docentes, contra o desconto dos dias parados dos lutadores e em defesa da liberdade de organização politica e sindical.

Achamos fundamental o chamado de uma frente em defesa da escola pública, pois sabemos que esta luta só pode triunfar a partir da aliança entre os trabalhadores, o povo pobre e todos aqueles que mais dependem de uma educação pública e gratuita.

No Brasil, em que o governo vende a imagem de “um país que avança”, a educação publica também vem sendo enormemente precarizada tanto pelos governos do PT de Dilma, do PSDB e demais partidos burgueses, que fazem de seus governos verdadeiros balcões de negócios que entregam fortunas aos empresários enquanto mantém miseráveis salários para os professores e trabalhadores da educação, mantém salas super-lotadas e degrada as escolas públicas que são justamente onde estudam os filhos dos trabalhadores.

Ao mesmo tempo tenta privatizar as universidades públicas como a USP, colocando todo o conhecimento produzindo a serviço dos lucros das empresas e não das necessidades do povo pobre. O trabalho precário de milhões de professores também ganha sua cara mais perversa no interior da chamada “universidade de excelência”, onde sobrevive o trabalho semi-escravo das trabalhadoras terceirizadas.

Aqui também os trabalhadores e estudantes que lutam contra a precarização e o projeto privatista da burocracia acadêmica são os alvos prediletos da perseguição politica e do patrulhamento ideológico, como vêm ocorrendo agora com dezenas de estudantes e toda a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores da USP.

Com o avanço da crise econômica internacional, a repressão aos setores que lutam será cada vez mais empregada pelos patrões e pelos governos como mecanismo de aprofundar a exploração aos trabalhadores em todo mundo, por isso, se coloca na ordem do dia avançarmos no internacionalismo proletário para impor que sejam os patrões que paguem pela crise criada por eles mesmos.


São Paulo, 11 de março de 2013.
Diretoria Colegiada Plena do Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de São Paulo

13/03/13

CAROS AMIGOS: REPÚDIO ÀS DEMISSÕES

REPÚDIO ÀS DEMISSÕES E APOIO À GREVE DA REDAÇÃO DA CAROS AMIGOS CONTRA A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO

Nós, da Diretoria Colegiada Plena do Sindicato dos Trabalhadores da USP, vimos por meio desta manifestar nosso apoio e solidariedade à greve da redação da Caros Amigos contra o corte de 50% da folha de pessoal na revista, bem como, nosso repúdio à demissão de todas trabalhadoras.

Estas medidas implicam um corte no número de jornalistas e também nos salários, mantendo para uma equipe reduzida o mesmo volume de trabalho. O resto deste trabalho seria feito por freelancers, ou seja, a direção da revista avança para um claro caminho de precarização do trabalho.

Diante da justa manifestação dos jornalistas a resposta foi demissão de todos eles, o que não deve ser aceito de forma alguma. O Sintusp, historicamente luta contra a precarização do trabalho, por iguais salários e direitos. Por isso, também nos colocamos ao lado das trabalhadoras da Caros Amigos, exigindo:

Reincorporação imediata de todos os demitidos!
Abaixo o corte de 50% na Folha Salarial!
Todo apoio à luta dos trabalhadores da Caros Amigos!

São Paulo, 13 de março de 2013.

Diretoria Colegiada do Sintusp

 

 

 

Documentos