19/07/17

PABLITO FICA!

 

USP é derrotada: Justiça do Trabalho nega definitivamente a demissão de Pablito

Nesta sexta-feira, 14 de julho, foi publicado o despacho que determina o arquivamento do processo de Inquérito Judicial para Apuração de Falta Grave, considerado IMPROCEDENTE, aberto pela Universidade de São Paulo contra o diretor sindical Macello Pablito, membro do Sindicato dos Trabalhadores da USP e da Secretaria de Negras e Negro do Sintusp.

A Reitoria da USP pedia a demissão por justa causa de Pablito por ter participado de manifestações em defesa dos trabalhadores e da implementação imediata das cotas raciais na USP.

Depois de perder em todas as instâncias, com parecer do próprio Ministério Publico do Trabalho contrário à demissão de Pablito e testemunhos que mostravam como a USP não conseguia sequer sustentar as suas acusações, agora a 42ª Vara do TRT determina o arquivamento do processo movido pela USP.

A vitória no processo de Pablito é um ponto de apoio para exigir o imediato arquivamento do processo judicial que a reitoria da USP mantém contra Zelito, ativista negro e ex-diretor do Sintusp, que continua sob a ameaça de demissão e que recentemente foi barbaramente detido pela PM quando retornava de seu horário de almoço.

É também um ponto de apoio para exigir o arquivamento dos demais processos administrativos e inquéritos judiciais e policiais movidos contra mais de uma dezena de ativistas (estudantes e trabalhadores) de nossa categoria que lutaram em defesa das cotas raciais na USP e também na luta contra a perseguição dos lutadores como Brandão, demitido pela reitoria da USP de modo inaceitável.

O resultado do arquivamento deste processo foi fruto da campanha e do apoio de diversos setores dentro e fora da USP.

Apesar da aprovação das cotas raciais na última reunião do Conselho Universitário da USP no dia 04 de julho, a reitoria continua perseguindo estudantes e trabalhadores que lutaram em defesa da implementação das cotas raciais.

Não vamos dar nenhum passo atrás na nossa mobilização e nos apoiamos nesta decisão para seguir lutando contra todos os ataques na USP.

 

MEXEU COM UM, MEXEU COM TODOS!

Documentos